Imagem-perfil-raca

Shar-pei: Afetuoso e Independente

Shar-pei: cuidados, origem e curiosidades

Oriundo da China ainda nos tempos da dinastia Han (entre 206 a.C. e 220 d.C), o Shar-Pei é tranquilo, amigável e fiel a seus tutores. Tanto que ele não escolhe apenas um tutor: age como se toda a família estivesse à disposição dele para servi-lo, acariciá-lo e em troca, protege a todos igualmente. Um pouco turrão e teimoso, o cão já foi utilizado para trabalhos árduos, como ficar de guarda das tumbas dos membros da realeza chinesa.

Saiba Mais
Tamanho
Imagem-tamanho-raca

46 a 51 cm

Peso

18kg - 30kg

Pelagem

Sua pelagem é bastante curta, atingindo no máximo 1cm de altura, fazendo com que seja um cão que quase não solta pelos.

Característica
  • Disposição para atividade

  • Respeito ao tutor

  • Intelecto e memória

  • Territorialismo

  • Amor ao tutor

  • Latido

  • Paciência com crianças

  • Receptividade com outros pets

Escolha produtos para seu pet

Clique na imagem abaixo para comprar

Colecao-vtex

A origem do Shar-pei

Em seu desenvolvimento, datado do mesmo período da dinastia Han, o Shar-Pei já foi usado para caçar, lutar, proteger e pastorear animais de fazendas. A história o aponta como um dos cães mais antigos e raros do mundo.

Tanto que, a teoria de sua criação durante a dinastia Han, é sustentada pela descoberta de estátuas próximas à cidade de Hong Kong, semelhantes ao Shar-Pei e datadas desse período histórico.

Acredita-se que uma de suas funções era guardar as tumbas da realeza chinesa. Além disso, assim como seus ancestrais, os Chow-Chows, o Shar-Pei pode ter sido usado também como cão de tração, em práticas de rinhas, como cães de briga e cão de caça.

Com as raças caninas praticamente dizimadas por sua criação doméstica ter sido considerada itens da burguesia, a presença dos cães foi reduzida. Sobraram poucos exemplares em algumas cidades e no campo. A fim de salvar e proteger a raça, alguns criadores se refugiaram em outros países.

Depois de um tempo, algumas pessoas moradoras das cidades de Hong Kong e Taiwan começaram a investir na criação de Shar-Peis. Assim, o Kennel Club reconheceu a raça oficialmente em 1968.

No entanto, foi em 1973 que ela passou de quase extinta a muito popular, chegando às Américas e conquistando o povo ocidental. Ao chegar aos Estados Unidos, em 1966, ainda não eram reconhecidos. Foi somente em 1988, com sua inserção no American Kennel Club (AKC) que ele foi aceito por todos.

Principais características do Shar-Pei

O Shar-Pei é silencioso em suas ações e tem o temperamento preparado para ser um cão de trabalho, como pastoreio, por exemplo. Fisicamente o cão conta com uma carranca e tem a boca em cor preta. Segundo os chineses, isso afugenta os maus espíritos.

Com tamanho médio, o Shar-Pei é ativo e compacto. Suas rugas são puro charme e as orelhas pequenas compõem a construção de sua aparência única. Os machos têm mais robustez do que as fêmeas. Fortes e musculosos, os cães têm cauda grossa e redonda.

Além disso, sua pele e suas rugas são especialmente e naturalmente propícias para protegê-los de ataques de outros cães. Inclusive, a textura de sua pelagem pode ocasionar irritações em outros cães e isso o Shar-Pei também usa como mecanismo de defesa

Pelagem do Shar-Pei

O pelo do Shar-Pei apresenta características muito particulares da raça. Em seu corpo a pelagem costuma ser reta e separada, além de curta e arrepiada. Não tem subpelo de proteção e o pêlo pode ficar entre 1 cm a 2,5 cm. Está aí um cachorro que nunca deve ser tosado.

As cores de sua pelagem geralmente são sólidas. Frequentemente acontece de os membros inferiores serem mais claros. Sobre o dorso e orelhas é comum que a pelagem tenha um sombreado diferente. As cores mais comuns são: bege, dourado, ruivo, preto ou marrom, podendo ter algumas variações entre elas.

Cuidados com a pelagem do Shar-Pei

O Shar-Pei deve tomar banho morno. Sempre! A água fria pode espantá-lo e a muito quente, queimá-lo. Há também a recomendação de um shampoo especial para que a pele não fique ressecada e tampouco com alergias.

Com o uso correto do produto, sua pele ficará macia e brilhante. Sempre que ele tomar banho é primordial que as dobras sejam secas, uma a uma. Vale passar o dedo entre elas para verificar.

Se ficarem molhadas, bactérias e fungos podem se desenvolver no local, acarretando em problemas sérios em sua pele. Além disso, as dobrinhas charmosas necessitam de limpeza diária, com o auxílio de um algodão ou lenço umedecido especial para essa tarefa.

Esse feito prevenirá a instalação e proliferação de fungos. O uso do secador no quente também não é recomendado. Se tiver que secar seu cão, use um soprador ou o secador no modo frio.

Imagem-raca-meio

Como cuidar de um Shar-Pei?

Para cuidar de um Shar-Pei você precisará de disposição e tempo. Não adianta não se dedicar a ele: se isso acontecer e for perceptível ao cão (e certamente o será), ele ficará entediado e mais agressivo.

Por isso, para manter a qualidade de vida do cachorro, as horas de brincadeiras, carinhos e passeios recorrentes são muito relevantes. Suas inúmeras e fofas dobrinhas também são ponto de atenção aos tutores.

Apesar de ser um cachorro que não gosta muito do clima frio, não é recomendado submetê-lo a ambientes muito quentes e de baixa umidade. Banhos recorrentes são recomendados para evitar alergias e infecções, bem como escovação de seu pelo que deve ser realizada todos os dias.

Outro ponto importante que o tutor deve se atentar é que o Shar-Pei é um cão que tem facilidade para ganhar peso. Logo, se ele ficar com sobrepeso, suas articulações do quadril e patas podem ser comprometidas. Vale a pena controlar os petiscos e obedecer a quantidade de ração recomendada.

Os dentes do cãozinho devem ser escovados com bastante regularidade, além da limpeza periodontal para a retirada do acúmulo de tártaro. Em relação às unhas, quando ainda são filhotes é fácil apará-las.

Quando eles crescem é recomendado deixar que um profissional o faça. Sua força é imensa e ele pode ficar muito contrariado se alguém que não sabe o que está fazendo realizar o procedimento.

Problemas oculares podem acontecer. Por isso, verifique seus olhinhos todos os dias, mantendo-os limpos com soro fisiológico. Assim, coceiras e vermelhidão serão evitadas. Se os olhos permanecerem vermelhos ou lacrimejantes, leve-o imediatamente ao veterinário para verificar suas condições.

Sua água deve estar sempre fresca e limpa. E não se esqueça: ao levá-lo para os passeios, ande pela sombra e evite os horários de alta exposição solar.

A presença de febre pode ser detectada e deve ser tratada por veterinários, com medicação e controle. Para isso acontecer, não precisa de uma explicação justa: ele simplesmente pode ter febre por uma questão hereditária e autoimune, passada de pais para filhos.

Se isso acontecer (o que não acomete a todos os cães da raça) é preciso observar suas articulações, principalmente as das patas traseiras, uma vez que elas podem ficar inchadas, causando dor ao animal. É recomendado que suas articulações sejam verificadas todos os anos, para evitar os problemas mais comuns como displasia, inflamações e dores.

Vacinação anual

Vacinar cães adultos anualmente é fundamental para evitar doenças graves. As vacinas V10 ou V8 são importantes para proteger seu Shar-Pei de doenças como cinomose, parvovirose e leptospirose, entre outras.

A vacina antirrábica imuniza seu cãozinho contra a Raiva. Além de grave para os animais, a doença pode ainda ser transmitida para humanos. Existem também algumas outras vacinas para prevenir verminoses, gripes, entre outros males que colocam a saúde do seu cachorro em risco.

Consulte seu médico veterinário de confiança para descobrir qual o melhor protocolo de imunização para o seu amigo.

Vermífugos e antipulgas

Além de vacinar o seu cachorro, existem outros cuidados periódicos com a saúde do animal que devem receber sua atenção. A administração dos vermífugos varia de acordo com o tipo do medicamento e a frequência com que seu cãozinho sai de casa.

A função deles é eliminar vermes que são contraídos na rua, nos alimentos e até dentro de casa. Consulte seu médico veterinário para definir a frequência, a dosagem e o vermífugo ideal para seu Shar-Pei.

A administração de antipulgas e anticarrapatos também é muito importante e pode ser feita de inúmeras maneiras. Existem coleiras, pipetas, sprays e até medicamentos orais para livrar seu animal das pulgas, carrapatos e mosquitos.

Converse sempre com um veterinário de sua confiança para escolher a opção que mais se adequa à rotina do seu cachorro. O importante é manter seu pequinês sempre protegido e saudável. Além do incômodo da coceira, esses parasitas podem ocasionar diversas doenças graves. Não vale a pena arriscar!

imagem-01

Cuidados com os filhotes de Shar-Pei

Ter um filhotinho de Shar-Pei em casa é sempre uma alegria, mas exige muitos cuidados. Quando bebês, os cães de todas as raças precisam receber vacinas em um protocolo diferenciado dos adultos.

Veja abaixo a orientação:

  • 60 dias de vida: 1ª dose da vacina V10 ou V8;
  • Entre 81 e 90 dias de vida: 2ª dose da V10 ou V8;
  • Entre 111 e 120 dias de vida: 3ª dose da V10 e a dose única da antirrábica.

Atenção! É imprescindível esperar 10 dias após a última dose das vacinas, para poder levar seu cachorro para passear na rua em segurança.

Além da imunização, seu filhote de Shar-Pei precisará de medicamentos para parasitas. Use apenas vermífugos e antipulgas feitos especificamente para filhotes e indicados por seu veterinário de confiança.

Como alimentar um filhote de Shar-Pei?

Após o processo de desmame dos filhotes de cachorro, que acontece entre 6 e 8 semanas de vida, o recomendado é que eles passem a ser alimentados de 4 a 5 vezes ao dia.

Essa frequência ajuda na manutenção do nível de glicose no sangue, evitando crises de hipoglicemia para os bebês, que são sempre agitados e gastam muita energia.

A saúde dos filhotes é mais vulnerável do que a de cães adultos por estarem em fase de desenvolvimento. É muito importante cuidar da alimentação do Shar-Pei filhote, para que eles tenham um crescimento saudável e equilibrado, evitando futuros problemas.

As rações especiais desenvolvidas para filhotes de raças grandes são as mais indicadas, não apenas para a manutenção do peso, mas principalmente por oferecerem nutrientes que auxiliam no desenvolvimento dos músculos, ossos e articulações.

Além disso, o tamanho dos grãos de cada tipo de ração também varia de acordo com as necessidades de cada cachorro. Filhotes são ansiosos e podem engolir grãos muito pequenos sem mastigar, prejudicando o processo de digestão. E lembre-se: não é recomendado alimentar seu cachorro com comida de humanos e é fundamental manter o pote de água sempre ao alcance do bichinho.

Qual a melhor ração para o Shar-Pei?

Cachorros adultos e idosos também precisam de uma especial desenvolvida para sua faixa etária e tamanho, que satisfaça suas necessidades nutricionais específicas. Por isso, estão disponíveis no mercado diferentes opções de marcas e sabores de ração desenvolvidas para diferentes portes e idades de cachorros.

Os Shar-Peis são animais de grande porte, e precisam de uma dieta cuidadosamente balanceada, para manter sempre sua saúde em dia. Você pode consultar o seu veterinário para definir quantidade de ração adequada de acordo com o peso e tamanho do seu animal.

Rações Premium ou Super Premium são as mais indicadas para todas as raças de cachorros por conta da maior preocupação com os ingredientes e com o valor nutricional. Por oferecerem maior qualidade, seu consumo resulta em benefícios para a saúde de seu amigo.

imagem-02

Comportamento do Shar-Pei

Calmo, limpo, independente e com cara de fofo. Assim é o Shar-Pei. Mas não se engane: territorialista, protetor e dominador, ele vai fazer de tudo para chamar sua atenção.

Caso não a consiga, pode criar confusão com pets e pessoas estranhas e ainda destruir objetos e móveis em sua casa se for muito contrariado ou estiver desapontado com algum acontecimento.

Cães de guarda por instinto, os cachorros dessa raça são leais até demais a seus tutores. Entretanto, necessitam de atenção continuamente pois se apegam a todos os moradores de sua casa e não somente a seu tutor.

Obedecer a todos é outra história: ele geralmente vai escolher um dos membros para ser o mais capaz de ter alguma autoridade sobre ele. Em contrapartida, seu carinho e afetuosidade é dividido entre todos. Quando não educados desde filhotes podem se tornar um pouco dominantes de todo o ambiente.

Com a necessidade de gastar sua energia diariamente, o Shar-Pei tem força suficiente para passear por mais de uma hora seguida, por exemplo. Atividades físicas e mentais - como estímulo a caçadas entre outras brincadeiras, podem deixá-los com temperamento mais calmo e satisfeito.

Mesmo que pareça um pouco triste por sua infinidade de rugas e cara de bravo, o Shar-Pei é divertido e brincalhão. Adora, por exemplo, brincadeiras com bolinhas, frisbees e aquelas em que tenha que estimular sua lógica, como caçar petiscos e outros brinquedos.

Amáveis até com crianças um pouco maiores (as muito pequenas podem ser derrubadas ou machucadas, não de propósito, mas porque ele não mede sua força) é um ótimo cão de companhia.

Estímulos físicos e mentais devem ser praticados diariamente. Apesar de não gostar de viver o tempo todo fora de casa, ele se contenta com um bom passeio que o faça gastar sua energia, sempre em companhia de um de seus tutores.

Essa raça se dá melhor com crianças um pouco maiores, que já tenham discernimento de não importunar o cão com brincadeiras de mal gosto, como puxões de rabo, empurrões, entre outros.

Além disso, possui força suficiente para machucar a criança muito pequena, mesmo que não tenha a intenção. No entanto, se for acostumado, mesmo com bebês desde pequeno, pode tornar-se um grande companheiro de crescimento e acompanhar os primeiros anos de seu mini tutor.

Adestramento do Shar-Pei

Teimosos e não tão obedientes, os cães da raça não são fáceis de adestrar. No entanto, se o adestramento contar com a presença de seu tutor, reforços positivos e com muita paciência quando ele ignorar os primeiros comandos, tudo correrá bem.

É recomendado que todo o processo seja recompensado com muito carinho, repetição de ordens e petiscos saborosos, indicados para a raça.

Classificado no ranking de inteligência canina em 51º lugar, o Shar-Pei requer paciência para treinamentos, além de não poder se incomodar muito com o “ser ignorado” diante de comandos.

Como geralmente não é um cão agressivo, basta observá-lo em seu ambiente para evitar que não cause danos. O adestramento auxilia nesse processo para que ele descubra o que realmente pode e o que não deve de jeito nenhum fazer.

Como é o Shar-Pei em casa?

O mais importante para ter um Shar-Pei em casa é entender que ele considera todos os moradores como seus tutores e que esses cães precisam de estímulo e atenção constante para evitar o tédio.

Passeios, interações e brincadeiras podem ser realizados em ambientes internos, uma vez que o cão não gosta muito de ficar fora de seu território. Com uma rotina diária de exercícios, ele ficará calmo e comportado.

Os exercícios incluem passeios e caminhadas não muito longas, para evitar a sobrecarga das articulações do quadril e patas. Deve, assim, caminhar por cerca de uma hora, em média, 1 km todos os dias.

Com a personalidade forte, geralmente são afetuosos, independentes, reservados e desconfiados, principalmente com pessoas estranhas a seu convívio, podendo ser, muitas vezes, arredio e agressivo.

Criativo, o Shar-Pei vai causar bons momentos de diversão em família, especialmente durante a passagem da fase de filhote para a adulta. Autoconfiante, o Shar-Pei é também sério e independente, ainda que precise de atenção.

Prefere ter uma rotina estabelecida do que a criação de novidades diárias. A raça brinca com diversos brinquedos e crianças, mas se cansa e fica deitadinho um tempo para que sua energia seja reposta.

imagem-03

Melhores brinquedos para o Shar-Pei

Com grande preferência por brincadeiras de roer, o Shar-Pei geralmente gosta de ossos e outros brinquedos que possam ser roídos até acabar. Com a necessidade constante de afiar e limpar os dentes, eles ficarão muito felizes com esses brinquedos por perto, além de exercitar bastante seu instinto e força.

Bolinhas e frisbees também podem ser bons brinquedos para esse cãozinho que gosta de correr atrás de algo arremessado. Além disso, brinquedos interativos que o façam caçar petiscos ou brinquedos são favoráveis ao estímulo de seu pensamento lógico.

Curiosidades sobre o Shar-Pei

Com o significado de “pele de areia”, Shar-Pei já esteve duas vezes no Guinness World Records como o cachorro mais raro do mundo. Isso aconteceu nas edições de 1966 e 1978. Uma das raças mais antigas do mundo, a história conta que ao longo dos anos, muitas estátuas em homenagem à raça foram encontradas em Hong Kong, na China.

Um Shar-Pei bem famoso e mais raro ainda é o cãozinho Paddington. Sua pelagem é toda branca e somente em sua página em uma rede social conserva mais de 99 mil fãs.

Voltar ao topo